terça-feira, 24 de setembro de 2013

Texto 2..

Lisboa, 23 janeiro de 2137

Após meses de tentativas de acordos falhadas – que tanto contribuíram para o agravamento do meu estado de saúde -, após tanta “pouca-vontade” da parte da administração em compreender a minha situação, venho, desta forma, apresentar a minha demissão, com justa causa, pedindo ainda a indemnização que penso ser-me devida.
Há cerca de sete meses foi-me diagnosticado SIFDA – Síndrome de ImunoFacebookDeficiência Adquirida, com pequenos surtos de EPAC – Episódios Psicóticos por Ausência de Comentários, ainda que num estado não muito avançado e, de alguma forma, facilmente controlável. Apesar de ter apresentado os vários atestados médicos e todos os exames que fiz que provam as minhas patologias e os respectivos tratamentos para o meu normal funcionamento laboral, sempre me foi exigido que abdicasse do tratamento em prol do trabalho. Muitas foram as vezes em que sofri ameaças tanto de colegas como dos meus chefes, outras vezes era pressionado a trabalhar horas extraordinárias, sempre com a intenção de me levar ao extremo, até chegar ao ponto de rutura e me despedir. Por ocasião dos resultados dos exames foi-me apresentada a prescrição do tratamento – que também entreguei no departamento de Recursos Humanos – e era do conhecimento geral que esse mesmo tratamento passava por doses diárias de “likes” (duzentos e cinquenta likes) e “shares” (cinquenta shares) das minhas atividades no Facebook. Para isto, foi-me recomendado que passasse, pelo menos, catorze horas diárias a atualizar o meu estado e/ou postar fotografias de gatos bebés ou frases de auto-ajuda numa foto com um fundo que induzisse à reflexão. Ao ser-me negado que, durante o meu horário de trabalho, estivesse mais do que cinco horas diárias mergulhado no Facebook, não consegui avançar com o tratamento e, após dois meses nesta situação, entrei num estado profundo de DCF – Depressão por Carência Facebookiana.
Assim, após falar com o meu advogado, especialista em Ética e Utilização do Facebook no Trabalho, decidi avançar com o processo de rescisão unilateral do contrato, a ter lugar no Tribunal Universal das Redes Sociais, onde irei pedir uma indemnização de cinquenta mil likes, dez mil shares e duzentos e cinquenta mil comentários, que terão que ser pagos num prazo máximo de dois anos.

Sem outro assunto de momento,
Sr. Ainid Mórelaiques

18 comentários:

  1. Lá imaginação não te falta ;)
    Gostei!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Houve um(a) anjinho que me fez voar na direção certa.. :)

      Obrigado!

      Eliminar
  2. eu que não tenho facebook, deixo aqui um like ( toma)
    beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. hahaha mas devias ter! :D
      Hoje em dia, não ter facebook, é quase o mesmo que não ter BI! :)

      Beijinho

      Eliminar
  3. Já sabes que coise.... gostei muito do senhor Ainid xD

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. hahaha Deve ser romeno ou qualquer coisa do género! :D

      Eliminar
  4. Hahaha. Estou a pensar demitir-me acho que vou utilizar o argumento desta carta.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não te deixam estar 5horas no facebook por dia? :D

      Eliminar
  5. Criatividade rulessss!!
    Li o texto vencedor (sim, só reparei agora que tens o link para o blog do concurso..my bad) e o teu tá muito mais original..

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tive uma pequena ajuda orientadora.. :)
      Mas sim, também acho que o meu está bem mais original e criativo.. mas enfim...

      Eliminar
  6. Respostas
    1. ... que até tive que comentar duas vezes! :p

      Eliminar
  7. Está criativo. Mas não gostei por aí além, meu caro. Já te vi escrever coisas melhores ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, não está nada por aí além..
      Senti isso mesmo... mas dado o desafio e as condições a que estou submetido, foi o melhor que consegui...
      E se leres o vencedor, ainda menos piada achas.. lol

      Eliminar

Não é por nada, nem quero influenciar ninguém, mas diz que quem comentar neste blog, é uma pessoa espetacularmente espetacular!