quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Dos dias que tenho passado com ela...

Das duas, uma: ou ela é a mulher da minha vida, ou vou ficar um chef de cozinha profissional!
De qualquer das formas, vou sair sempre a ganhar.

O arroz de marisco e, de novo, o tinto alentejano.



Os bolos de amêndoas que ficaram espetaculares.


quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Eu queria...

Eu queria, queria muito falar sobre ela e sobre nós...
Sobre o que foi dito e feito...
Sobre o que foi pensado e sonhado...
Sobre como ela me deixa de olhos a brilhar e sorriso parvo no rosto...
Queria, mas tenho medo que as palavras estraguem a magia que nos envolve.

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Fim de semana apaixonante... e de paixão.

Já tinha reparado que era observado por várias pessoas quando estou a fazer o meu treino.
Já tinha reparado que ela me observava, ali, da janela do sexto andar do prédio em frente ao meu.
Já tinha pensado que seria engraçado se ela viesse cá abaixo perguntar o que estava a fazer.
Na sexta-feira isso aconteceu.

Estava a meio do treino quando ela apareceu perto de mim. Disse-me olá, eu respondi e continuei a treinar. Ela sentou-se por ali perto a ler um livro. No final do treino ela perguntou-me o que estava a fazer. Expliquei-lhe o que era e ela respondeu que parecia difícil. Fiz o meu ar de forte e disse que "Nem por isso. Só é preciso treino e não desistir.". Ficámos mais um pouco à conversa. Fiquei a saber que estava ali duas semanas sozinha porque os pais foram de férias para o Algarve. Ao escurecer, perguntou-me se queria ir jantar a algum lado. Disse-lhe que ia cozinhar e que se ela quisesse, podia lá ir jantar a casa. Aceitou e subimos. Esperou na sala enquanto tomei um duche rápido. Conversámos enquanto eu preparava o jantar. Entre refogados, cozeduras, fritar lombo e fazer o molho de manjericão, abrimos uma garrafa de tinto alentejano. Pus a mesa e jantámos. A comida estava saborosa; a conversa, deliciosa. Depois do jantar, sentámo-nos no sofá a ver um filme, sempre acompanhados daquele Granja-Amareleja de 2012.

Vimos metade do filme até ela se virar para mim e me beijar. Retribuí o beijo, puxando-a pelo pescoço, delicadamente, mas com a convicção suficiente para ela perceber o desejo que se apoderava de mim. As mãos percorriam cada parte dos corpos, procuravam cada centímetro de pele exposta, ansiavam por zonas escondidas. Levantei-me com ela no meu colo e levei-a para o quarto. Deitei-a na cama. Despimo-nos até ficarmos ambos em roupa interior. Foi quando ela me disse que não queria mais do que aquilo naquela noite, que não se queria entregar assim, que queria prolongar durante mais tempo aquele desejo latente. Concordei. Também o queria prolongar. Queria aguentar até não conseguir mais, até que cada célula implorasse pela libertação da volúpia. Deitou a cabeça no meu peito e adormeceu no meu abraço. Fechei os olhos e desejei que as horas passassem mais rápido, bem mais rápido, que o habitual. Ansiava pela manhã.


domingo, 24 de agosto de 2014

Segunda noite..

Pela segunda noite, ela decidiu que passar a noite em minha casa é uma boa ideia. Ao que parece, barbas grandes a fazerem cócegas entre as coxas é um grande afrodisíaco.

sexta-feira, 22 de agosto de 2014

Dos posts que se leem por aí..

"Ontem foi um dia espetacular. Saí de casa com a J. e fomos ter com os nossos amigos T. e P, com destino a E. Porque E.? Porque tem uma vista lindíssima e podemos ir almoçar ao restaurante B. Acabados de chegar e damos de caras com outros amigos nossos: o R.e a S, com os filhos N. e V.!
O dia foi-se passando entre mergulhos e risadas. A meio da tarde liga-me o H. a perguntar se queríamos ir jantar ao restaurande D., que fica em F. L.. Aceitámos e fomos todos juntos. Comemos s., o., g., c., a. e para sobremesa m. e r.. Foi um dia super bem passado, e só tive pena que o meu grande amigo Z. não possa ter ido. Mas agora desde que começou a namorar com a Y. é natural que tenha menos disponibilidade."


Epá, se não querem dizer onde foram, com quem foram, onde comeram, os nomes das pessoas, etc e tal, mais vale não escreverem nada. Digo eu...



Foi uma tarde dura..

Ontem, depois do trabalho, fui direto para casa para fazer o meu treino. Estava com aquela pica toda e a querer despachar o treino para ter tempo livre para outras coisas. Chegado a casa, olho para o plano de treino e solto um suspiro e faço cara feia. Era dia de não um, mas dois treinos: cardio e abs. Mas o que tem de ser tem muita força, lá me equipei e fiz os dois treinos. O segundo já foi em esforço... Muito esforço. Se há coisa que não gosto de treinar, é o abdominal. Terminado os treinos, quando me preparaca para o banho ouço alguém a chamar por mim. Intrigado, entrei no quarto e eram os meus ténis novos a pedirem para serem estreados. Olhei para eles, sorri, calcei-os e fui dar uma corrida com eles. Foram só 5kms, mas o suficiente para saber que está ali uma relação de longa....... distância!



quinta-feira, 21 de agosto de 2014

Coisas que me fazem ficar acordado madrugada dentro...

1- Não ter sono.
2- Os programas de pesca do atum-rabilho no Atântico.

A importância dos sapatos de corrida e os meus ténis novos..

Por esta altura já devem estar fartos de tantos posts sobre desporto e exercicio e corridas e tal, mas podem ficar descansados que este espaço não se vai tornar num blog de fitness. No último treino de corrida que fiz, acabei com duas enormes bolhas, uma em cada pé. Isto deveu-se, acima de tudo, ao facto dos meus ténis já terem mais de 1000kms percorridos. O ideal é trocar de sapatos a cada 1000kms, porque o desgaste, se se correr todos os dias, é bastante elevado. Por isso, ontem fui à Pro Runner tratar do assunto.

Mas comprar uns sapatos de corrida não é só ver os mais bonitos, ou os mais caros, experimentá-los e levá-los debaixo do braço. Há muitas questões que se têm de ter em conta, nomeadamente o tipo de passada, o tamanho do sapato e para que os vão utilizar. Não me querendo alongar muito, porque cada um destes fatores davam para escrever um livro, vou tentar resumir.

Existem 3 tipos de passada: pronação, neutra e supinação. Pronação é quando durante a passada, o pé assenta e roda apra o lado de dentro, exercendo mais pressão na parte interior. Um pronador que não use uns sapatos adequados arrisca-se a sérias lesões nas artuculações ou mesmo nas canelas. A supinação é o oposto da pronação, em que o pé roda para o lado exterior, ficando o peso do corpo nos dedos de fora, podendo provocar lesões nos pés, joelhos e costas. Passada neutra é quando a energia do impacto do pé no solo é uniformemente distribuida, não havendo rotação do calcanhar para qualquer direção. Quem tem a passada neutra pode-se considerar uma pessoa com sorte, pois são biomecanicamente mais aptos que os outros corredores. Por isto, é essencial que se saiba que tipo de passada se tem e comprar uns sapatos adequados. Estes testes podem ser feitos em diversas lojas de desporto, ou em clinicas especializadas.

O tamanho do sapato também é fundamental. Quando comecei a correr e quis comprar uns ténis melhores, fui à loja e escolhi sem pedir ajuda. Escolhi o que mais gostava, peguei no meu número e fui embora. Passado algum tempo de utilização, comecei a ficar com as unhas dos pés negras. Pensei que tivesse feito uma má escolha de ténis e fui de novo à loja, mas desta vez, pedir ajuda. Foi aí que me fizeram o teste da passada e fiquei a saber que sou pronador. Depois de me indicarem os ténis que mais se adequavam a mim, escolhi o modelo que queria. Perguntaram-me que número calçava e qual não é o meu espanto quando me dão uns sapatos 2 números acima, ou seja, o 43! E lá me explicaram que durante a corrida o pé incha devido ao impacto, ao esforço e pela quantida de sangue que lá afluí, e que é essencial ter uns sapatos com folga suficiente para deixar o pé inchar sem que este fique compactado contra as paredes do ténis.

O tipo de corrida que vão fazer também é importante. Podem fazer trial, correr em asfalto, terra batida, distâncias curtas ou longas. Saber isto é importante para se definir a estrutura do sapato que vamos usar, o tipo de sola, mais arejados ou menos arejados, com amortecimento, com apoio, etc. Fiquei a perceber, da mesma forma que um amigo meu percebeu recentemente, que os sapatos que utilizamos agora não servem para distâncias acima dos 21kms, e como a Maratona de Lisboa está quase aí e os sapatos precisam de rodagem, havia a necessidade urgente de comprar uns novos.

Como podem ver, escolher sapatos de corrida não é rocket science, mas também não é uma decisão que se tome de animo leve e, principalmente, sem pedir ajuda e opinião de quem percebe do assunto. Depois de falar com o pessoal da loja, de me medirem o pé e me sugerirem alguns modelos (todos para pronador), acabei por comprar uns Nike Air Zoom Structure+ 17. No próximo fim de semana vou fazer um treino longo com eles para saber se foi ou não uma boa compra. Se calhar vou à noite, não por causa do tempo, mas para saber se as pessoas me veem ao longe. Não estão a entender? Vejam as fotos.






Havia desta cor e azulão com a sola cor de rosa, acabei por escolher o menor de dois males! (é mentira, gosto da cor, verde lima, para ir a correr e chamar a atenção e desviá-la da minha cara feia!



Nota: Se se quiserem inscrever na Maratona de Lisboa do dia 5 de Outubro e não quiserem pagar a inscrição, podem ir à Pro Runner, e na compra de uns sapatos da adidas, oferecem a inscreção. Os sapatos custam cerca de 140€, mas se tirarem os 45€ que poupam na inscrição da corrida, ficam por menos de 100€.

quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Se pudessem escolher..

Se pudessem escolher entre a paz no mundo e o dinheiro todo do Bill Gates, de que cor e modelo seria o vosso Lamborghini?


A dificuldade em pedir uma bebida para acompanhar o almoço..

Durante o almoço:

(...)
- E o que deseja para beber?
- Pode ser Coca-Cola.
- Coca-cola não temos, pode ser Pepsi?
- Posso almoçar sem pagar o almoço?
- Desculpe?
- Posso almoçar sem pagar o almoço?
- Não...
- Então não pode ser Pepsi. Pode ser uma 7UP.
- Só temos Snappy, pode ser?
- Tem Coca-Cola?
- Não...
- Ora aí está a minha resposta. Traga-me uma água, se faz favor.

Como eu devo muito à inteligência..

... acabei de me inscrever na Rock'n'Roll Maratona de Lisboa EDP 2014, que vai ser no dia 5 de Outubro, com saída da Baía de Cascais e chegada no Parque das Nações em Lisboa.
Talvez ainda vá a tempo de um treino intensivo ou algo do género e consiga terminar a prova, pelo meu pé, antes das 6horas que temos para a terminar.


terça-feira, 19 de agosto de 2014

Somos todos tão bons..

Ir na estrada e buzinar a um carro de uma escola de condução que está a dar uma aula, é o mesmo que ficar chateado porque o filho de 6meses não ajuda a carregar os sacos das compras.

Insanity Workout Fit Test #2

Um dos motivos pelos quais quis ir fazer um treino longo no último domingo - mesmo sem correr há praticamente um mês -, foi para perceber se o treino que estou a fazer em casa está a resultar ou não. Disseram-me que o treino funcional era bom para quem corria, que resultava mesmo que não se corresse diariamente. Tinha as minhas dúvidas, até ter feito 19kms sem ter dores nas pernas ou sentir que os pulmões me queriam sair pela boca. Noutra altura, se estivesse 1 mês sem correr e tentasse fazer 19kms, o mais certo era estar rebentado ao fim de 6 ou 7kms.

Como já aqui disse, o treino que estou a fazer não requer qualquer tipo de máquinas, pesos ou idas ao ginásio. Podem fazê-lo no conforto do lar ou mesmo ao ar livre. (Tendo a sorte de viver num condominio fechado e com um jardim bastante grande, é aí que os tenho feito, todos os dias depois do trabalho, para grande alegria dos vizinhos que me veem a cara de sofrimento e as gotas de suor a cairem ao chão. Mas adiante...). No primeiro dia do treino fiz um teste para perceber a minha condição física. Não sendo eu um gajo sedentário, até nem estava muito mal, mas no final do treino estava mais morto que vivo. Este teste repete-se algumas vezes durante o treino, sempre com o objetivo de vermos os nossos progressos. Ontem foi dia de novo teste e os resultados, se bem que pouco, tiveram melhorias. Mas ainda só passaram duas semanas, espero que as melhorias, tanto na minha performance como no meu fisico, sejam mais evidentes e substânciais, no final dos 60 dias.

Desta vez decidi gravar a parte do teste, não gravando o aquecimento nem os alongamentos finais, e vão poder vê-lo. Quando estiver sem tshirt e virem a minha barriga, não gozem... Espero já não a ter assim no final do treino. Podem, inclusivamente, experimentar este teste para perceberem o quão cansativo e doloroso consegue ser. Deixo também a diferença dos resultados entre um teste e outro.

(O que está entre parênteses é o reultado do primeiro teste)
1' Switch Kicks: 67 (60)
1' Power Jacks: 52 (49)
1' Power Knees: 102 (87)
1' Power Jumps: 30 (28)
1' Globe Jumps: 9 (9)
1' Suicide Jumps: 14 (11)
1' Push-up Jacks: 25 (21)
1' Low Plank Oblique: 49 (47)


segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Correr faz bem ao coração...

Dizem os estudos que correr faz bem ao coração. Faz tão bem ao coração que pode mesmo dar-se o caso de ele se querer começar a reproduzir. No domingo fui fazer um treino longo, queria fazer 20kms, mas ao fim de 19kms tive que parar porque já sentia um coração extra a crescer... Num pé! Portanto parei para o ver e até era um coração engraçado...



Por isso, já sabem: correr faz bem ao coração mas pode fazer muito mal aos pés.

A verdade é que ando a precisar de uns ténis novos. Estes já levam mais de 1000kms corridos e já não há palminha que me valha. Mas isto anda escasso de dinheiro, por isso, se houver alguma alma caridosa ou uma marca que me queira oferecer uns ténis novos, eu ficarei bastante agradecido.

Este treino longo, fi-lo para perceber se o treino funcional que tenho feito em casa está a dar resultado na resistência das minhas pernas e na caixa torácica (cardio). Posso afirmar que sim. Já não corria há bastante tempo e não senti dores nas pernas e consegui ir o caminho todo na conversa sem me cansar ou sentir falta de ar. É a prova que treino funcional é um bom complemento ao treino só de corrida.

sexta-feira, 15 de agosto de 2014

Sabes que..

Sabes que ela anda à procura de um cigarro especial quando está no meio da pista a dançar com um chupa-chupa na boca.

quinta-feira, 14 de agosto de 2014

Bom feriado!

Para mim, já o está a ser...

Ainda há sítios lindos em Portugal!


Harry Potter vai ter 7 novos livros!

Que, basicamente, vão ser sobre a sua vida em adulto, casado e com filhos.








Impossível não rir, mesmo sendo um enorme fã!

quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Dos ciclistas e daqueles que andam de bicicleta..

Cada vez se vê mais pelas estradas, pessoas montadas em bicicletas. Ou por desporto ou porque é o veículo que utilizam no seu dia a dia. Seja em estrada aberta ou no meio das cidades, não podemos ficar indiferentes a esta realidade. Mas o crescente número de ciclistas nas estradas não é proporcional à educação e consciencialização que é preciso dar tanto aos condutores de veículos motorizados, como aos próprios ciclistas. As pessoas que andam de carro ou mota, viram, de um momento para o outro, o seu espaço habitual ser 'ocupado' por um veículo mais lento e que lhes constrange o caminho, e não sabem se eles o podem fazer desta ou daquela forma. Os ciclistas por outro lado, 'invadiram' as estradas, achando que têm os mesmos direitos que os veículos motorizados, pondo de parte, claro está, todos os deveres inerentes a conduzir nas estradas. E este choque de realidades e pensamentos tem trazido mais dissabores a quem anda no veículo, que em caso de acidente, sofre as piores consequências: a bicicleta.

Este assunto tem levantado muitas questões sobre quem deve ser responsabilizado, quem deve pagar os custos inerentes a um acidente, quem tem prioridade em determinados locais da rodovia e se uma bicicleta pode ocupar, na estrada, o mesmo espaço que um carro. Depois, para além disto tudo, existe a parte em que as pessoas têm civismo ou não, tanto para andar de carro como para andar de bicicleta. Eu divido-os em ciclistas e em 'pessoas que andam de bicicleta'. O ciclista é aquela pessoa que respeita as regras de trânsito, que leva capacete, às vezes até um colete refletor, que tem uma bicicleta com luzes atrás e à frente e que apenas circula nos locais onde o pode fazer: as ciclovias e na estrada. As 'pessoas que andam de bicicletas' são aquelas pessoas que se montam numa bicicleta e não respeitam regras de trânsito, que passam sinais vermelhos, que vão por sentidos proibidos, que circulam despreocupadamente quase no meio da faixa e que, se for preciso, vão pelos passeios onde andam os peões.

Eu não tenho nada contra os ciclistas, mas já tenho algumas coisas contra as 'pessoas que andam de bicicleta', porque são um perigo para elas e para os outros. Todos os dias vejo estas pessoas a desrespeitarem regras de trânsito e a circularem onde não podem (ainda ontem à tarde vi dois gajos de bicicleta em pleno IC17). O cúmulo do ridiculo chegou com a noticia da intenção, por parte das associações dos ciclistas, que sejam as seguradoras dos carros a pagar em caso de acidente, mesmo que o ciclista seja o culpado. Não acreditam? Podem ler a noticia aqui. Basicamente, o que estas associações querem é que mesmo que um 'ciclista' passe um sinal vermelho e seja levado à frente de um carro, que a seguradora do carro pague as despesas inerentes a esse acidente. Segundo eles, afirmam que as "bicicletas são amigas do ambiente, fazem bem à saúde e ajudam a economia", que "os carros são umas armas potenciais" e que "quem tem carta de condução, tem de ter responsabilidades para com aqueles que não têm". Mas esquecem-se que muitos 'ciclistas' andam pelos passeios, que vão contra os peões, que vão contra carros estacionados, que se atravessam na estrada sem olharem para qualquer lado e, mais uma vez, que passam sinais vermelhos como se aquele sinal não lhes dissesse respeito.

As regras são para serem cumpridas por toda a gente que anda nas estradas. Andar de bicicleta não é só montar numa e começar a pedalar. Temos de saber aquilo que podemos ou não fazer, tal como os nossos direitos e os nossos deveres. Temos de ter consciência que em caso de embate com um carro, a bicicleta sai sempre a perder - tal como eu sei que o meu carro perde contra um veículo pesado -, por isso, todo o cuidado é pouco quando vamos na estrada. Parece-me que os ciclistas estão mais preocupados em ter direitos do que em possíveis deveres, que ajudariam numa maior harmonia entre eles e os veículos motorizados. Acima de tudo, espero que não comecem a circular nas autoestradas e comecem a ocupar a faixa do meio. Aaah! E que o bom senso faça parte do seu dia a dia na estrada.

Querem homenagear alguém?

Se for um músico, ouçam a sua música..
Se for um escritor, leiam a sua obra..
Se for um pintor ou um escultor, vão apreciar as suas obras..
Se for um ator, vejam os seus filmes e percebam onde é que eram realmente bons..

Mas façam isto antes de postarem fotos ou frases ou o que quer que seja sobre essa pessoa.
A melhor homenagem que um artista pode receber é que as pessoas percebam, de facto, a sua obra em vida, e não um 'Rest in Peace' ou um RIP (que até demonstra preguiça de escrever as palavras completas) associado a uma única frase numa foto, como se a sua obra fosse resumida àquele único momento da sua vida. Se não quiserem estar com este trabalho todo - o de pesquisar a obra do artista -, mais vale estarem sossegados no vosso canto.

terça-feira, 12 de agosto de 2014

Insanity Workout - Uma semana depois

Já estou a fazer este treino há uma semana. Se já sou o gajo mais saradão de Portugal? Não. Se sinto diferenças abismais? Não. Se me sinto mais capaz, melhor fisicamente e com mais resistência. Sim.
Ao fim de uma semana, já consigo fazer os exercícios durante mais tempo, já consigo fazer um maior número de repetições e já não fico a morrer após um treino de 30minutos. Faço o que o treinador diz e quando me sinto a quebrar, abrando o ritmo ou paro mesmo, bebo água e volto aos exercícios. Afinal de contas, se o pessoal que está nos vídeos, e claramente mais preparados fisicamente do que eu, não aguentam o ritmo do Shaun T (treinador), eu não vou forçar demasiado o meu corpo.
O melhor dia do treino até agora foi o de domingo, que basicamente é dia de descanso e dia de não treinar! Ah, e saí de casa e agora treino no jardim do condomínio, que me permite estar mais à vontade e já não me retraio para evitar fazer demasiado barulho para o vizinho de baixo.
Na próxima segunda-feira é quando vou voltar a fazer o teste e ver as melhorias. Até lá, é treinar keeeping my core tight!

No segundo dia de treino, quando senti que isto cansa mesmo uma pessoa.

Num dos treinos mais intensos até agora, foi assim que ficou o chão da sala.

Odeio treino de abdominais.

Durante o treino para o cardio e resistência

Preciso urgentemente ganhar força nos ombros e nos braços.

video
Vá, não gozem com as minhas caretas durante os Power Jumps.
Experimentem lá estarem a saltar assim durante 30 segundos ao fim de 25minutos de treino intenso.

segunda-feira, 11 de agosto de 2014

Obesidade e McDonald's..

Há coisa de 3 ou 4 anos, não me recordo bem, fui passar férias, com outros amigos, a casa de um amigo que vive em Portimão. Pelo caminho, e como a fome apertava, parámos no McDonald's de Beja. Depois de um amigo ter ido à casa de banho, diz-nos para olharmos, sem dar muitos nas vistas, para a mesa que estava ao pé da entrada para o WC. Pensámos logo que seria alguma gaja boa, mas o que vimos foi um homem com mais de 40 anos com 3 hamburgers à sua frente. Tudo normal, não fosse o homem ocupar duas cadeiras e pesar, sem certeza absoluta, mais de 150kgs. Era um óbvio caso de obesidade mórbida, ali, abandonada à sua sorte.
Agora recentemente, numa ida ao McDonald's voltei a ver pessoas com claro excesso de peso - e não falo de uns quilos a mais, falo de obesidade! - a enfiarem hamburgers e batatas fritas cobertas de ketchup e molho pela goela abaixo, a lamberem os dedos e quando se vão embora ainda estão a tirar a roupa presa nas pregas da barriga.

E eu pensei para comigo e verbalizei para quem me acompanhava que devia ser proibido certas pessoas comerem lá. Que os funcionários do McDonald's deviam poder dizer que não a pessoas com evidentes problemas de peso e, por conseguinte, problemas de saúde. Foi-me dito que isso não podia ser, que cada um é livre de fazer o que quiser e que cada um é responsável pela sua saúde, e que o que o MsDonald's devia fazer era ter avisos de que a sua comida não era aconselhada a pessoas com excesso de peso/problemas de saúde, mas que se a pessoa mesmo assim quisesse lá comer, que a teriam de servir. Argumentei que se fosse assim podiamos ver grávidas a andar de montanha russa, a fazer bungee jumping e outras coisas, mesmo sendo aconselhadas a não fazê-lo. A conversa continuou e nem eu nem a outra pessoa mudámos de opinião.

Toda a gente sabe que fumar faz mal, toda a gente sabe que fumar mata, toda a gente sabe que provoca cancro, que prejudica a sua saúde e a saúde dos que rodeiam o fumador. Toda a gente sabe isto e mesmo assim há pessoas que o decidem fazer. Nos Estados Unidos, um homem que fumava 3 maços de tabaco por dia morreu por causa de um cancro, contraído por fumar, claramente, em excesso. No entanto, a mulher do falecido decidiu processar a tabaqueira pela morte do marido, afirmando que não preveniram que podia morrer por fumar e exigindo uma quantidade imensa de doláres. Podem ler a noticia aqui.

Agora pergunto eu: e se um pessoa com obesidade mórbida, problemas de coração, sangue, o que seja, entra num estabelecimento do McDonald's, come umas batatas fritas tamanho XL e morre ali de enfarte, de quem é a culpa? Da pessoa que sabia que não podia comer aquilo, do estabelecimento que não avisou a pessoa sobre os malefícios da sua comida ou da pessoa que serviu a comida à pessoa? São situações que eu acho que deviam ser pensadas e analisadas tendo em conta o crescente número de pessoas com problema de peso, tanto adultos como crianças. A solução iria também levantar problemas sobre como decidir se se poderia servir ou não, mas eu pensei em duas ou três que poderiam evitar sequer que essas pessoas pudessem sequer entrar no estabelecimento.



sexta-feira, 8 de agosto de 2014

Gentlemen's Barbershop | by Mike | Moscavide

Como está aí o fim de semana, e como em Agosto há muita gente a casar-se, ou porque simplesmente está muito calor para usar cabelos compridos, saber de um sitio onde um homem possa ir cortar o cabelo, é sempre bom. De preferência, se for um sitio de qualidade. Mas estes sitios nem sempre são fáceis de encontrar. Assim, homem barbudo que sou, comecei a pesquisar onde é que podia ir cortar o meu cabelo e dar uns toques na barba por alguém que entendesse do assunto. E, quase vindo do nada, a Time Out lança a revista a falar sobre o assunto: barbas e barbearias. Claro que li aquilo tudo e fiquei a saber onde é que em Lisboa ainda há barbearias como antigamente.

E foi assim que fiquei a conhecer a barbearia Gentlemen's Barbershop. Percebendo que era bem perto do meu local de trabalho, decidi ir lá experimentar. E não podia ter ficado mais satisfeito. O espaço é claramente só para homens, com uma decoração repleta de quadros de homens barbudos e tatuados. Mike (proprietário do espaço), para além de já ter mais de 15 anos de experiência a cortar cabelo, já trabalhou em algumas das melhores barbearias de Lisboa. Agora, gere o seu próprio negócio. Simpático e conversador, surpreendeu-me ainda mais quando apenas me pediu 6,50€ pelo corte. Escusado será dizer que ganhou um cliente, tanto que já lá fui de novo.

Caso precisem ir cortar o cabelo, ou estiverem fartos do vosso cabeleireiro unissexo que vos pede 20€, aconselho vivamente a Gentlemen's Barbershop.





Desta é que eu não estava à espera..

Ontem, quando saí do trabalho, fui direto para casa para fazer o meu treino. Como vivo no último andar, existem casas abaixo de mim. Por isto, e como o treino passa muito por saltar, simular corrida entre outros exercicios que me obrigam a fazer barulho com os pés, achei que não me ficava nada mal ir ao vizinho do 7º andar e perguntar-lhe se o incomodava o barulho que eu fazia durante 30-45mins, mesmo estando naquele horário em que podemos fazer barulho.

Chego à porta e toco à campainha. Esperei, voltei a tocar e lá me abriram a porta.
Vizinho: Boa tarde.
Eu: Boa tarde. O meu nome é Mustache e vivo no andar acima da sua casa. Como ando a fazer um plano de treinos em que faço algum barulho com os pés a bater no chão, gostaria de saber se isso o incomoda.
Vizinho: Não. Incomoda-me mais os gemidos e gritos de sexo a meio da madrugada. Boa tarde.

E fecha-me a porta. Tenho mesmo de começar a ver os pornos com o som mais baixo.



quinta-feira, 7 de agosto de 2014

Gosto mais de mamar do que ver outros a mamar, mesmo que sejam bebés..

Se está na moda os homens usarem barbas compridas, para algumas mulheres a moda é dar de mamar em locais públicos. A criancinha chora e a mãe saca logo da teta para a enfiar na boca da criança, não vá ela explodir se não mamar 10 segundos após começar o choro. E eu sou sincero, não me incomoda nada ver uma mulher a fazer topless, mas incomoda-me ver uma cabeça de uma criança a tapar-me a possibilidade de ver maminhas.

E, como dar de mamar na rua, tanto é moda como é polémico, já existe um blog/projeto em que mostram fotografias de mulheres a dar de mamar aos seus filhos, em vários sitios públicos. E o jornal online Observador fez uma reportagem sobre o tema, que podem ler na íntegra aqui. 

“Eu não escolho amamentar em público, o meu filho é que escolhe ter fome”. Catarina Beato (36 anos) é mãe de dois rapazes: o Gonçalo tem 11 anos e o Afonso três. (...) ainda hoje alimenta o Afonso e, quando calha, fá-lo na rua, à frente de quem passar — e de quem ficar a olhar. (...) O Afonso chorou da primeira vez que cortou o cabelo e a mãe, para o acalmar, deu de mamar no próprio estabelecimento. O gesto tornou-se regular." - Já estou mesmo a ver quando o Afonso, com 18 anos, estiver para perder a virgindade e estiver nervoso. A mãe aparece do nada e diz-lhe para ele mamar (nela) uns minutos até se acalmar e depois voltar à carga. Claro que a namorada vai achar aquilo normal. Mas se não achar, ela é que é a esquisita e não percebe que é um gesto natural.

“Se vamos à vacina, eu aviso com antecedência que posso ter de o alimentar. O mesmo acontece num jantar. Caso ele comece a ficar com sono, é provável que peça a maminha” - Eu faço o mesmo. Antes de ir onde quer que seja, aviso sempre com antecedência que posso tentar agarrar-me às mamas de alguém para me acalmar. Normalmente, dizem-me para não aparecer por lá.

"Se ao início tinha cuidados em tapar-se com um pano, agora Vanessa Rodrigues olha para o gesto com naturalidade e não compreende os comentários que vai ouvindo. “Já me aconteceu estar em cafés e o empregado vir perguntar-me se queria um espaço mais reservado. Acontece com alguma frequência e fico sempre atrapalhada com a situação. Sinto que estão a intrometer-se na intimidade que tenho com a minha filha e, ao mesmo tempo, sinto pena pelas pessoas que ficam constrangidas por isto”, conta." - Concordo com esta mãe. Também já me aconteceu estar em cafés, e começar na intimidade com uma gaja e vem logo o empregado perguntar se não queremos antes um quarto. Sinto que as pessoas estão a interferir no nosso amor e ainda ficam constrangidas e incomodadas por o mostrarmos onde quer que seja.

"Ainda assim, a mãe não vê mal nas mulheres que escolhem dar de mamar em locais públicos e diz que, em caso de necessidade, também o faria. Agora, em Londres, comenta que há imensos bebés e mulheres grávidas na rua, embora ainda não tenha visto ninguém a amamentar: “Mas, mesmo que visse, não ficaria a olhar. É uma coisa absolutamente normal." - Sempre ouvi dizer que Londres é uma cidade de um país do terceiro mundo e que não se adapta ao mundo moderno e real.

"Mas durante quanto tempo deve uma mãe amamentar o seu filho? Ana Jorge concorda com os conselhos da OMS. O leite materno deverá ser o único alimento da criança até esta completar seis meses. Depois, e até aos dois anos, deve servir de complemento numa dieta com outros alimentos não lácteos incluídos. Mas há muitas mulheres que ultrapassam a referida meta temporal. “Não vejo desvantagens”, esclarece Ana Jorge. “Mas do ponto de vista emocional existem correntes diversas. Depende muito da vontade da mulher. É uma decisão pessoal que deve ser tomada, considerando sempre uma relação saudável”. E quanto ao desmame? “É um processo natural que deve ser feito sem sofrimento de parte a parte." - Aqui é que está tudo. Não são as crianças que querem mamar e beber leite materno até lhes aparecerem os primeiros pintelhos. As mães é que querem dar de mamar à criança, mesmo que esta já não precise. Acredito que os laços mãe-filho/a sejam muito fortes e dificeis de começar a desatar, e que as mães o tentem fazer o mais tarde possivel, mas há limites.


Com isto tudo não quero dizer que sou contra as mulheres darem de mamar na rua. Apenas acho que o devem tentar fazer em locais mais reservados e não onde cada pessoa que passa tenha que o ver. Se acham que é um ato de amor e de intimidade com o bebé, então deviam "proteger-se" dos olhares de estranhos, sejam olhares de reprovação ou de "carinho". Da mesma forma que as pessoas reservam a sua intimidade para dentro das suas casas, o amamentar deveria ser visto da mesma forma. Apesar de algumas vezes a criança ter mesmo de mamar e estejam num local público, podem sempre resguardar-se um pouco, indo para uma zona mais recatada ou cobrindo a criança com uma toalha. Sei que um dia posso vir a ser pai. Sei que posso estar com a mãe do meu filho na rua e ele precisar de mamar, mas também sei que serei o primeiro a sugerir que ela cubra a criança enquanto mama.

quarta-feira, 6 de agosto de 2014

A gaja da alfândega..

Hoje, quando fui à alfândega, para além de não ver o meu assunto resolvido, também não consegui parar de olhar para o rabo de uma gaja. Não por causa do rabo em si, mas por causa do desenho que ela tinha na saia: um coração e uma seta. E, enquanto olhava, comecei a pensar no seu significado. E quanto mais olhava, maior era a dúvida.


E ela foi-se embora e eu continuei com a dúvida. Será que aquele desenho quer dizer que ela quer ser amada pelo rabo, ou que ela acha que o amor é uma merda?

Hoje fui à alfândega..

Aproveitando uma promoção de um site de vestuário relacionado com barbas, que sigo inclusivamente no instagram, decidi encomendar 3 tshirts para usar e mostrar o meu amor pelas barbas grandes. Fiz a encomenda, paguei com cartão de crédito e passados 3 dias recebo um email a confirmar que a encomenda tinha sido enviada. Sabia que teria de esperar no minimo 3 semanas até a receber, mas quando passou um mês, decidi entrar em contacto com eles. Após troca de emails com o site e com a empresa que envia as encomendas, foi-me dito que, muito provavelmente, a encomenda estaria retida na alfândega e que era melhor ir lá falar com eles, pois podia ter de pagar alguma taxa extra.
Tentei ligar, mas como após 45minutos e 24 chamadas depois ninguém me atendeu, decidi lá ir.

Quando lá cheguei, tirei a minha senha e passados 3 minutos chamaram-me.
Eu: Ah e tal, bom dia, fiz uma encomenda dos Estados Unidos há quase 2 meses e como ainda não a recebi, queria saber se está aqui retida..
Empregada A: Bom dia, então e tem o tracking ID da encomenda?
Eu: Pois, isso não tenho porque a encomenda vem sem trackind id...



Empregada A: Então tem de tirar a senha A e falar ali com a tesouraria dos CTT para verem no sistema se a encomenda já deu entrada.


Tirei a senha A e esperei uns 5 minutos até me chamarem.

Eu:Bom dia, estive ali a falar com a sua colega e...
Empregada B: Colega não, ela é da alfândega!
Eu: Ok. Fiz uma encomenda dos Estados blá blá blá queria saber se está no sistema.
Empregada B: Então e qual é o tracking ID?
Eu: Pois, isso não tenho..
Empregada B: Assim não sei!
Eu: .....
Empregada B: Diga-me lá o código postal da morada de entrega para eu ver aqui no sistema. (....)



Eu: Então assim o que posso fazer?
Empregada B: Esperar.
Eu: Então assim venho cá noutro dia?



Eu: Mas vou receber alguma notificação quando entrar no sistema?



Eu: Então como é que sei quando chega?
Empregada B: Só recebe uma notificação se a alfândega achar a fatura suspeita e desconfiar de contrafação. Só assim é que enviam um aviso.
Eu: Nesse caso...
Empregada B: É esperar.


E saí de lá triste porque queria mesmo as tshirts ainda durante o verão.
Resta-me aguardar.
Mas pelo menos vi lá uma gaja sobre quem falarei mais logo.

terça-feira, 5 de agosto de 2014

Insanity Workout - Get Fit or Get Out

Antes de ir de férias, tinha decidido que ia começar este treino em casa. Decidi, inclusive, que o ia começar durante as férias. Mas, e como as férias já são curtas para as coisas boas da vida, acabei por não o começar. No entanto, comecei ontem. E, durante os próximos 60 dias, levá-lo-ei até ao fim.

Este treino que se faz em casa ou num jardim (tendo em conta que os vídeos se vêm no computador ou num tablet, mas convém vê-los para perceber como se fazem os exercícios e o duração de cada um) promete que as pessoas conseguem obter um corpo fit em apenas 60 dias, apenas utilizando treino funcional, evitando ginásio e treino com cargas (pesos). Promete definir o corpo, os abdominais, tonificar músculos, perder massa gorda, ganhar massa magra e adquirir maior equilibrio, resistência e performance fisíca. Digo "Promete" porque ainda não fiz o treino completo e a verdade é que estamos sempre um pouco de pé atrás no que diz respeito as estes treinos "milagrosos" que prometem resultados fantásticos em pouco tempo. Mas conheço quem já o tenha feito e que tenha tido resultados bastante positivos. Não ficaram "animais musculosos", mas era notória as diferenças depois do treino completo.

Como disse, ontem foi o primeiro dia de treino e passou por um teste às minhas capacidades físicas, com o objetivo que as ir melhorando ao longo do tempo. Foram 8 tipos de exercícios, cada um durante 1 minuto em que tinha que fazer o maior número de repetições que fosse capaz. Fiz um exercito, descansei entre 45" a 1'30", e passei para o próximo. Sempre que terminei um exercício, anotei o número de repetições. Durou cerca de 25', já com uma fase de aquecimento e uma de relaxamento no final- Agora, nos próximos dias, os treinos serão diferentes, trabalhando zonas especificas do corpo, cardio, core, etc. O domingo é dia de descanso e na próxima segunda-feira será novamente dia de Fit Test e perceber as melhorias.

Como puderam ter notado numa das fotos das minhas férias, até nem estou muito mal, mas há coisas que quero melhorar no meu corpo e, sendo que isto mal não faz, não custa nada tentar. Não vou ficar um obcecado pelo corpo e pelo exercicio, nem vou deixar de comer e beber tudo o que me apetecer e quando me apetecer, mas vou, definitivamente, exercitar-me mais amiúde.

Ficam os resultados do meu primeiro teste, para depois irmos comparando.

1' Switch Kicks - 120
1' Power Jacks - 49
1' Power Knees - 87
1' Power Jumps - 28
1' Globe Jumps - 9
1' Suicide Jumps (Burpees) - 11
1' Push-up Jacks - 21
1' Low Plank Oblique - 47


(os exercicios começam ao minuto 1:54)


E como é que eu me senti depois do treino? Morto, completamente de rastos e a lembrar-me do que me tinha acontecido na praia há um mês atrás! Se valeu a pena? Valeu pois!
Quem quiser começar o treino, pode descarregar os videos da net e começar a treinar em casa!

Estou apaixonado

Verdadeiramente apaixonado!
Tão apaixonado que estou capaz de lhe fazer já um filho!

domingo, 3 de agosto de 2014

Há coisas que as mulheres (algumas) nunca vão entender..

Um gajo pode estar um ano sem lavar o carro, mas quando o faz, se há coisa que merece toda a sua atenção, são as jantes.

sexta-feira, 1 de agosto de 2014

Resumo das férias (Parte III)



E para finalizar posso dizer que as minhas férias terminaram a uma quinta-feira e que entrei ao trabalho numa sexta-feira! E, ao contrário do que diz a música, não foi nada "agosto"!

Mas o que tem de ser tem muita força e cá estou, a mostrar o bronze ao resto do pessoal e a criar aquela coisa da inveja nos seus interiores.

Como podem ver, eu sou um gajo branquinho, branquinho... E, tendo em conta que não tinha férias a sério há coisa de 2 anos ou mais, a diferença de cor é notória.

Sobre as férias em si, foram do melhor que se pode desejar. Muita praia, sol, comida, bebida e sexo (acompanhado!). Podia-vos contar como foi em relação aos amores, mas parece que graças à Chata e a sua frase, já ninguém acredita em mim e julgam que sou um tretas, por isso, nem sei se devo ou não contar como estas férias foram do mais internacional possivel... Apesar de tudo, continuo com a lacuna da nipónica. Quem sabe, um dia...

E para quem vai entrar de férias hoje: que o meu melhor seja o vosso pior!

Resumo das férias (Parte II)